Como abrir um escritório de advocacia: o passo a passo completo

Postado em por Rodrigo Padilha.

Depois de decidir seguir a carreira no empreendedorismo jurídico, fica a pergunta: como abrir um escritório de advocacia? Isso é algo que muitas vezes a graduação não ensina. Muitos alunos saem da faculdade de Direito sem entender os elementos mais simples de administração.

Mas vamos lá, vou ajudar você nessa missão e mostrar o que é necessário para abrir um escritório de advocacia.

Antes de mais nada, você precisa, é claro, ser habilitado e estar regularizado junto à OAB. E sobre o investimento inicial, que é outro tema importante, já adianto que isso varia de acordo com equipamentos adquiridos, tamanho do escritório, área de atuação, localização e mais uma série de fatores que podem ser assunto para outra hora.

Neste artigo, meu objetivo é mostrar os 10 principais passos que você precisa seguir para montar um escritório de advocacia, e outras dicas que podem ser importantes para esse empreendimento. Vamos lá?

Como abrir um escritório de advocacia em 10 passos

1. Defina sua área de atuação

Em qual área da advocacia você vai trabalhar? Já pensou nisso?

Essa decisão é muito importante e vai implicar em desmembrar as próximas decisões sobre o seu negócio. Essa definição é fundamental. Certifique-se de estar a par de todas as suas opções: pesquise e entenda melhor a respeito de cada uma das áreas da advocacia antes de tomar essa decisão.

2. Faça uma análise do mercado atual

Muitas pessoas resolvem fazer esse passo antes: primeiro analisar o mercado e depois encaixar-se na área mais vantajosa do momento.

Acontece que a área mais vantajosa do momento pode mudar e não ser mais tão lucrativa ou fértil amanhã. E aí você pode ficar preso em um ramo que você não gosta tanto. Mas tenha em mente que não existe mercado saturado no Direito. O que há é falta de organização e mercados mal trabalhados.

Depois de definir sua área, analise o mercado para entender e considerar os efeitos da oferta e da demanda dos seus serviços de advogado. Isso porque a advocacia é um serviço, então é bom levar em consideração e saber com bastante clareza que seu preço e seus ganhos serão determinados pela demanda.

Portanto, ao pensar em como montar um escritório de advocacia, tenha em mente que você deve primeiro decidir a área em que irá atuar e depois estudar esse mercado.

Se depois de analisar a sua área de preferência você achar que esse mercado não é tão lucrativo, vale a pena estudar sua segunda ou terceira opção. Mas eu insisto: evite escolher a sua área de acordo com o mercado atual, pois isso pode ser uma armadilha em longo prazo – sem paixão pelo seu trabalho, você não irá longe!

3. Escolha se irá trabalhar sozinho ou com sócios

Antes de montar um escritório de advocacia, você precisa refletir se pretende trabalhar sozinho ou abrir uma sociedade. Essa definição é bem importante na hora de abrir um escritório porque vai determinar qual estratégia será usada e qual será o investimento necessário.

Se você quiser começar a empreender em sociedade, escolha muito bem seu sócio: muitos escritórios quebram ou fecham por falta de alinhamento e conexão entre os associados.

Se decidir por atuar sozinho, prepare-se para encarar esse desafio e considere a abertura de uma Sociedade Unipessoal de Advocacia, que traz muitos benefícios em relação à atuação como pessoa física.

4. Elabore um acordo entre os sócios

Para aqueles que decidiram montar um escritório de advocacia em sociedade, é fundamental que seja elaborado um contrato em que fiquem bem definidos as prerrogativas, os direitos e as responsabilidades de cada um.

Nesse sentido, é importante que no documento constem itens como a remuneração dos sócios, os passos para a retirada de um dos membros da sociedade, a destinação do patrimônio, entre outros assuntos importantes.

Isso é fundamental para dar mais transparência e segurança jurídica à empresa, além de evitar problemas e imprevistos – afinal, brigas, desentendimentos ou simplesmente a vontade de mudar de vida acontecem a todo instante.

5. Planeje as finanças do seu escritório

Se para empreender no ramo do Direito é preciso entender de administração, o mesmo vale para finanças: você precisa ter um mínimo de noção de planejamento financeiro para não terminar todo mês no vermelho.

Alguns itens que você precisa ficar ligado e entender são:

  • Saber fazer o adiantamento e reembolsos de custas;

  • Fazer a gestão de cancelamento de contratos e faturas;

  • Estar atento a honorários de sucumbência e ganhos de causas;

  • Acompanhar os indicadores de negócio.

6. Defina onde montar seu escritório de advocacia

Muitos advogados preferem alugar salas ou imóveis próximos a fóruns, mas, hoje em dia, com os processos cada vez mais digitais, não é necessário estar assim tão perto.

Além do mais, os arredores de fóruns e juizados costumam ser muito movimentados e dificultam a vida do cliente, que pode ficar sem lugar para estacionar ou pegar muito trânsito para chegar até você, por exemplo.

Outro ponto importante é analisar quais são as outras empresas próximas, tanto para avaliar a concorrência quanto para conseguir possíveis parcerias.

Por exemplo: se tiver um escritório de contabilidade próximo ao local onde você quer montar seu escritório de advocacia, isso já pode ser uma vantagem para você, pois é algo que muitos clientes precisam.

Avalie também como é o acesso à região, se há muito trânsito e se há pontos de ônibus ou metrô próximos, pois isso fará uma grande diferença no dia a dia do escritório em longo prazo.

7. Conte com bons profissionais

Em um escritório de advocacia, é necessário contar com o apoio de uma equipe competente e que seja capaz de dar conta das demandas da empresa. E, para isso, é preciso ser criterioso na seleção de cada profissional que será admitido.

Dos advogados associados aos estagiários com carteira da OAB, passando por profissionais de assessoria e secretariado, é fundamental para o escritório ter à sua disposição uma mão-de-obra qualificada e colaboradores identificados com os objetivos da empresa.

8. Saiba quanto custa abrir um escritório de advocacia

Antes de mais nada, pense que montar um escritório de advocacia é um investimento – e não um custo.

Se você pensar nele como um centro de custo, é provável que queria economizar demais e, com isso, fazer um escritório pouco ou nada profissional. Se dinheiro for um grande problema no momento, opte por um modelo home office, assunto que está mais abaixo neste texto.

Falando sobre valores, há muita variação no que se refere ao aluguel dependendo do estado e da cidade em que você trabalha, por isso não vou chegar a esse nível de detalhamento aqui. Por exemplo, uma sala comercial na Avenida Paulista, em São Paulo, custa muito mais do que uma sala de mesma metragem em uma cidade do interior de Goiás, por exemplo.

Mas, além do aluguel, há outros custos, como os móveis. Em média, alguns valores de móveis para escritório são:

  • Balcão de secretária: R$800,00;

  • Cadeira do tipo sofanete para 3 pessoas: R$ 1.400,00;

  • Cadeira simples de secretária: R$ 150,00;

  • Mesa de centro: R$ 300,00;

  • Mesa executiva: R$2.500,00;

  • Cadeira executiva: R$ 1.300,00

  • Cadeiras para os clientes R$200,00 cada;

  • Arquivo de 4 gavetas: R$ 800,00;

  • Armário baixo: R$ 500,00.

É bom lembrar que esses valores podem variar para mais ou para menos, dependendo da região, loja e material, mas você pode tomar esses aqui como média.

9. Invista em marketing para prospectar clientes

Um investimento essencial para o sucesso do seu negócio é, sem dúvidas, o marketing jurídico: você precisa pensar nisso enquanto planeja montar seu escritório de advocacia, pois é o marketing que vai lhe ajudar a ter clientes e, consequentemente, receita.

É fundamental nos dias de hoje que você tenha um site para mostrar ao público quem você é, em quais áreas atua e quais são seus canais de contato – no mínimo!

Se investir um pouco mais, como na produção de conteúdo para blog e redes sociais, e também em anúncios no Google e no Facebook, você pode ainda fazer do marketing digital uma fonte de receita. Principalmente para quem está começando e tem uma rede de contatos pequena, essa é a melhor saída para reforçar o trabalho de prospecção de clientes.

10. Atenda às normas da OAB

Uma vez no mercado, é preciso cuidar do seu patrimônio e trabalhar para que a imagem do escritório junto ao público seja a melhor possível. Para isso, é indispensável conhecer as normas da Ordem dos Advogados do Brasil e entender os limites da atuação profissional do advogado.

Aja sempre em acordo com a ética profissional e certifique-se de que todos dentro da empresa também o fazem.

Problemas éticos e de desrespeito ao que preconiza a OAB pode trazer prejuízos imensuráveis ao escritório, além de manchar a imagem junto ao mercado, colegas e clientes.

Como montar um escritório de advocacia sozinho

Para aqueles advogados que optaram por tocar seus negócios sozinhos, existem algumas etapas adicionais para garantir que o escritório prospere. São elas:

Não dê passos maiores que as pernas

Muitos advogados que escolheram começar um negócio próprio se deixam levar pela imagem clássica do escritório de advocacia chique e pomposo e investem pesado em um ambiente para receber os clientes e trabalhar.

Porém, em muitos casos, essa atitude pode inviabilizar o negócio logo de cara. É preciso ter em mente que o aluguel de um espaço físico comercial em boa localização não é barato e, principalmente para advogados iniciantes, pode ser financeiramente inviável.

Além disso, lembre-se de que esse tipo de ambiente traz consigo outros gastos fixos, como água, luz e internet, além da decoração.

Por isso, uma alternativa que vem sendo cada vez mais utilizada é o home office e realização de reuniões com clientes em outros espaços, assunto que vou comentar daqui a pouco neste texto.

Monte um plano de negócios

Como sempre comento aqui no blog, a faculdade de Direito não prepara os profissionais para serem empreendedores. Não basta ser um excelente advogado, é preciso ter, pelo menos, noções de administração, gestão e finanças para tocar o próprio escritório.

Esses conhecimentos são fundamentais para que você consiga elaborar um bom plano de negócios, em que conste um planejamento dos pontos mais importantes para a sua empresa, tais como:

  • Identificar público-alvo;

  • Mapear concorrentes;

  • Definir áreas de atuação;

  • Estruturar a precificação dos seus serviços.

Saiba como atrair clientes

A OAB proíbe a mercantilização da advocacia no Brasil e a captação de clientes.

Por isso, é preciso que o profissional que resolveu abrir um escritório de advocacia sozinho saiba como conquistar sua própria clientela. Afinal, quem atua por conta própria não tem o nome e a estrutura de um escritório por trás. Então, como fazer isso?

A resposta está no marketing jurídico, que, como comentei há pouco, envolve, entre outras coisas, o uso de ferramentas digitais, como site, blog e redes sociais, para ajudar o profissional a se tornar conhecido do público online e a ser lembrado como autoridade na área em que atua.

Assista: 7 PASSOS DO MARKETING JURÍDICO EFICAZ

Como montar um escritório de advocacia virtual

Ok, mas talvez você queira saber como montar um escritório de advocacia em casa.

Perfeito! Como já falei no post Advogado home office: uma alternativa viável?, hoje em dia o advogado pode perfeitamente ter um escritório fora dos padrões, caso queira economizar com isso. E quando falo em economia me refiro tanto a tempo como a dinheiro! Não tendo que se deslocar todos os dias para o escritório, você poupa essas duas moedas valiosas, principalmente em grandes cidades.

Se este é o seu desejo, tenha em mente que o seu modelo de negócio precisa se basear no home office: tudo precisa estar descentralizado. Você vai precisar marcar reuniões em cafés ou coworkings, ou até mesmo ir até onde está o cliente – o que inclusive é muito mais cômodo para ele.

Outra vantagem é que não será necessário o alvará de funcionamento da Prefeitura e do Corpo de Bombeiros – que citaremos a seguir. Não se esqueça, no entanto, de prever seus gastos mensais e verificar se sua estrutura de trabalho é sustentável em relação aos seus ganhos.

Extra: Órgãos envolvidos no processo

É muito importante lembrar aqui que há uma série de órgãos envolvidos que precisam ser comunicados para você montar um escritório de advocacia. São eles:

  • OAB: para registrar o contrato social da empresa;

  • INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial): para consultar e registrar marcas e patentes;

  • Secretaria da Receita Federal: para criação do cadastro nacional de pessoa jurídica;

  • Prefeitura Municipal: para receber o alvará de funcionamento;

  • Previdência Social: para fazer o cadastro da empresa e dos responsáveis legais;

  • Secretaria Estadual da Fazenda: para registrar a empresa;

  • Caixa Econômica Federal: para cadastro no sistema de Conectividade Social;

  • Corpo de Bombeiros: para autorização de funcionamento (também é estadual).

E agora que você já sabe como abrir um escritório de advocacia, não deixe de assistir à MasterClass gratuita de Empreendedorismo Jurídico que eu preparei para você – que irá lhe ajudar a entender alguns pontos cruciais sobre o seu escritório (que você não aprendeu na faculdade), como marketing jurídico, negociação de honorários e reprogramação mental. Nos vemos por lá!

Rodrigo Padilha

O Professor Rodrigo Padilha é pioneiro e fundador do Empreendedorismo Jurídico e do Programa Maverick no Brasil, além de fundador da Legião, que é uma das maiores turmas de 2ª fase da OAB no país. Atualmente coordena diversos negócios no Brasil e nos EUA e se dedica a ensinar advogados e outros profissionais a atingirem o sucesso através do empreendedorismo.