Como ser contratado por um escritório de advocacia?

Postado em por Rodrigo Padilha.

As várias oportunidades de carreira que a advocacia oferece tornam essa profissão uma das mais buscadas e movimentadas do mercado brasileiro. Mas você sabe como ser contratado por um escritório de advocacia?

Antes disso, vale lembrar que há muitas formas de trabalhar no ramo do Direito, desde os concursos públicos até a possibilidade de ser um advogado autônomo home office. Portanto, o primeiro passo é definir como você quer trabalhar.

Muitos advogados, recém-formados ou já mais experientes, preferem ser contratados por um escritório de advocacia em vez de abrirem seus próprios negócios.

E, para ter sucesso nessa empreitada, é importante levar em consideração que a contratação vai além da entrevista de emprego, começando ainda na preparação.

O que os escritórios de advocacia procuram nos candidatos?

Antes de entrarmos nos pormenores de como ser contratado por um escritório de advocacia, é importante saber o que essas empresas esperam dos candidatos que batem à sua porta em busca de uma oportunidade.

Em primeiro lugar, os escritórios vão filtrar os profissionais de acordo com requisitos considerados básicos hoje em dia, como fluência em inglês (e outras línguas) e formação acadêmica de excelência – seja graduação ou etapas posteriores, como pós, mestrado e doutorado.

A partir daí, entra a avaliação de características profissionais e pessoais que podem ser úteis para a empresa.

Nesse sentido, um ponto quase unânime buscado pelos grandes escritórios de advocacia é a flexibilidade e a polivalência do candidato. O profissional está disposto a atuar em diferentes áreas, inclusive sendo remanejado quando a empresa precisar? Como o candidato lida com os demais ramos de atuação da advocacia que não aquele em que se especializou?

Outro aspecto destacado por recrutadores de grandes escritórios de advocacia do Brasil é o entusiasmo e a vontade em aprender.

Lembre-se de que esse tipo de empresa lida com clientes de diferentes portes e perfis. Cada causa é um novo desafio. Dessa maneira, o que se busca no candidato é a capacidade de evoluir com essas situações e, assim, colaborar para o desenvolvimento da empresa.

Por fim, o candidato ideal aos olhos dos escritórios de advocacia é aquele que apresenta resiliência e comprometimento.

O primeiro diz respeito à inteligência emocional para lidar com momentos de tensão e encarar os obstáculos que surgirão diariamente. Por sua vez, comprometimento significa disponibilidade total para o cliente e dedicação máxima com a defesa dos seus interesses.

Antes da entrevista: o que fazer para se preparar

Não é necessário dizer que estar bem preparado é fundamental para aumentar as suas chances de contratação. Pensando nisso, separei algumas dicas:

Melhore o seu currículo

Mesmo nos dias de hoje, muitas vezes o primeiro contato entre o escritório de advocacia e o candidato é por meio do currículo de advogado.

Gostando ou não de fazer um, é preciso elaborá-lo com um cuidado especial, pois este documento pode determinar os próximos passos do processo seletivo – e como ser contratado por um escritório de advocacia de fato.

Nesse sentido, um aspecto ignorado por muitos candidatos e cada vez mais buscado por recrutadores é o esforço que o profissional está disposto a investir na sua própria contratação. E isso começa na preparação do currículo.

Evite enviar o mesmo CV genérico para todas as vagas que concorrer. O bom candidato é aquele que mostra como suas habilidades e qualidades podem colaborar especificamente para objetivos daquela empresa em particular.

Por isso, invista na elaboração de um documento específico para cada cargo que tiver interesse, demonstrando que fez seu dever de casa e que realmente conhece a vaga para qual está se candidatando.

Além disso, lembre-se de se capacitar constantemente. Faça cursos, invista em uma nova língua, busque experiências no exterior, enfim, dê mais peso ao seu currículo e não se esqueça de destacar suas novas qualidades.

Utilize o LinkedIn

Além do currículo, hoje em dia o LinkedIn é cada vez mais utilizado pela empresas para conhecer mais sobre o candidato, seus interesses e capacitações. Não à toa, o Brasil já é o terceiro país com mais usuários cadastrados nessa rede social.

Por isso, manter seu perfil atualizado e com informações relevantes sobre sua carreira é fundamental.

No entanto, não basta colocar uma boa foto e preencher alguns dados e achar que o trabalho está feito. É preciso ser ativo na rede, compartilhando e curtindo conteúdos, participando de grupos e discussões relevantes e ampliando sua rede de relacionamentos.

Além disso, não se esqueça de manter suas qualificações profissionais em dia. Capriche no seu resumo profissional, descrevendo todas as empresas por que passou, os cursos que fez e outras experiências relevantes. Também liste suas habilidades e solicite recomendações das suas conexões.

Informe-se sobre a empresa

Outro ponto fundamental antes da entrevista é pesquisar sobre o escritório, para levar informações sobre o que você pode fazer e o que vai agregar à empresa.

Para isso, faça uma breve pesquisa sobre o escritório: em que ramo do Direito a empresa atua? Quem são seus principais clientes? Quem são os sócios-fundadores? Qual foi a principal causa que defenderam?

Dificilmente o recrutador vai questionar um candidato a respeito dessas informações, mas, quando houver uma oportunidade, citar algumas delas pode contar pontos importantes a seu favor – desde que feito com naturalidade!

Ative seu networking

Muitos escritórios checam referências dos candidatos, então é interessante buscar contatos em comum e pedir aquela “recomendação amiga”. Afinal, apesar de uma referência não ser tudo, pode contar muitos pontos e pesar na decisão.

Pensando nisso, procure sempre ampliar sua rede de contatos. Para isso, participe de conferências, faça cursos e workshops e frequente eventos da área. Busque manter um bom relacionamento com seus colegas de profissão e faça-os saber que você está no mercado.

Envie seu currículo

Networking é bom, claro. Mas seja proativo e não fique à espera de uma indicação de um colega. Procure na internet por vagas que se encaixam no seu perfil e conheça as empresas que as oferecem.

Um vez filtradas as opções, envie seu currículo. Se o site do escritório não tiver uma área específica para isso, procure identificar a pessoa responsável e envie um breve e-mail de apresentação com seu CV em anexo, colocando seus serviços à disposição da empresa.

Durante a entrevista: o que fazer para ser contratado por um escritório de advocacia

O famoso ditado que diz que “a primeira impressão é a que fica” se encaixa muito bem no dia de sua entrevista de emprego.

Não basta dominar todas as técnicas de como ser contratado por um escritório de advocacia que falei até aqui se, no momento da entrevista, você chegar atrasado, não se expressar bem ou ter atitudes inadequadas.

O currículo e as recomendações são a porta de entrada, mas o que vai fazer você ser contratado por um escritório de advocacia é o seu desempenho durante a entrevista.

Portanto, siga algumas dicas fundamentais:

Seja mais do que pontual e chegue um pouco antes

Chegue com, pelo menos, 15 minutos de antecedência para a entrevista. No Direito, pontualidade é uma característica fundamental.

Afinal de contas, coloque-se no lugar do recrutador: se o candidato se atrasa para a entrevista de emprego, como será quando ele tiver que lidar com o dia a dia corrido do escritório e todos os compromissos marcados na sua agenda?

Vista-se de acordo com o cargo

Por mais despojado que o escritório possa ser, a entrevista de emprego é um momento formal, em que o candidato vai se apresentar à empresa. Nesse aspecto, saber como vestir-se é fundamental para passar uma imagem séria e profissional.

Para os homens, um terno de cores sóbrias, camisa clara, gravata e sapato social é o básico a ser seguido. Para as mulheres, é recomendado um vestuário mais conservador, com poucas joias e maquiagem discreta.

Desligue o celular

Antes de começar a entrevista, desligue o celular e guarde-o. Em uma ocasião como essa, até mesmo a rápida vibração de uma mensagem no bolso pode pegar mal.

Claro, se porventura você precisar estar com o celular ligado, avise o recrutador sobre a situação e comunique-o que algo urgente pode surgir no meio da entrevista. Como sempre, a melhor maneira de lidar com a situação é com profissionalismo e maturidade.

Não fale mal de empregos anteriores

Seguindo a linha do profissionalismo, nunca fale mal dos lugares por que passou e das pessoas com quem trabalhou. Cite-os de maneira respeitosa e profissional, destacando os impactos positivos que essas experiências anteriores tiveram no seu desenvolvimento profissional.

Fale o português correto e evite gírias

Se estamos diante de um momento formal, o linguajar também deve seguir essa linha. Faça uso correto da língua portuguesa e evite o uso de gírias. Evite, entretanto, pender para o outro lado e utilizar uma linguagem excessivamente técnica sem necessidade.

Empreendedorismo Jurídico: um canal possível, sim!

Em um primeiro momento, a busca por um emprego formal e o desejo de ser contratado por um escritório de advocacia podem parecer a única alternativa.

Contudo, o que eu tenho falado muito nos últimos anos (e que também tenho visto na prática) é o sucesso do Empreendedorismo Jurídico para os advogados.

Então minha dica final é: se você quer ser contratado por um escritório já existente, siga as recomendações acima; mas, se você só está fazendo-o por receio de enfrentar o mercado, saiba que você pode seguir o mindset do Empreendedorismo Jurídico.

E, aproveitando o assunto, não deixe de assistir à MasterClass gratuita de Empreendedorismo Jurídico que eu preparei para você – que irá lhe ajudar a entender alguns pontos cruciais sobre o seu escritório (que você não aprendeu na faculdade), como marketing jurídico, negociação de honorários e reprogramação mental. Nos vemos por lá!

Rodrigo Padilha

O Professor Rodrigo Padilha é pioneiro e fundador do Empreendedorismo Jurídico e do Programa Maverick no Brasil, além de fundador da Legião, que é uma das maiores turmas de 2ª fase da OAB no país. Atualmente coordena diversos negócios no Brasil e nos EUA e se dedica a ensinar advogados e outros profissionais a atingirem o sucesso através do empreendedorismo.