Quanto ganha um arquiteto recém-formado no Brasil? Confira!

Postado em por Rodrigo Padilha.

Arquitetura é uma das profissões que sempre aparece entre as mais procuradas por quem está escolhendo a carreira para seguir, sendo um dos cursos mais concorridos na maior parte das universidades brasileiras.

E um dos motivos principais para esse fenômeno é, possivelmente, as boas perspectivas oferecidas pela profissão: segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a profissão de Arquitetura e Urbanismo aparece entre as carreiras de nível superior mais bem remuneradas no Brasil.

No entanto, vale destacar que, apesar de ser uma profissão frequentemente relacionada a um mundo de riqueza e glamour, os rendimentos de um arquiteto vão depender muito da área de atuação escolhida.

Além disso, essa é uma profissão que valoriza muito a experiência no mercado de trabalho, o que impacta diretamente nos salários de quem está em início de carreira.

Área de atuação do arquiteto

A formação em Arquitetura é bastante abrangente e abre portas para atuação em diferentes áreas. As principais são:

Urbanismo: tem a ver com o planejamento do espaço urbano. Envolve desde soluções ao sistema de transporte à criação de conjuntos habitacionais e até mesmo projetos para o saneamento básico.

Paisagismo: pensa na composição entre a arquitetura e paisagem em que ela está inserida. Pode atuar tanto na remodelação de espaços públicos quanto na criação de projetos para áreas particulares.

Tecnologia de construção: busca materiais e técnicas que forneçam as melhores soluções para, entre outras coisas, garantir o melhor aproveitamento da luz natural e o conforto térmico de um ambiente.

Preservação do patrimônio: atua na preservação e restauro de bens históricos. Para isso, deve conhecer bem as melhores técnicas e materiais, de modo a não causar danos ao patrimônio.

Projeto: consiste na criação de projetos para edifícios – residenciais e comerciais – buscando aliar funcionalidade e estética.

Quanto um arquiteto ganha em média no Brasil?

Antes de tudo, é importante ressaltar que cada área de atuação possui uma média salarial diversa, que, por sua vez, depende da realidade de cada segmento no mercado.

De acordo com a Lei 4.960 de 1966, e como indicado pelo sindicato da profissão, o piso salarial de um arquiteto para um jornada de 8 horas diárias deveria ser de 8,5 salários mínimos mensais – que, em 2018, vale R$ 954. No entanto, a realidade de boa parte dos profissionais não é bem assim.

O último levantamento feito pelo Ipea, ainda em 2013, mostra que a média salarial do arquiteto brasileiro é de R$ 4.206. Por sua vez, o site de empregos Catho, que reúne vagas de todo o país, coloca esse valor em R$ 4.253.

A Pesquisa Salarial da Catho Online aponta as remunerações médias dos principais cargos ofertados para profissionais da Arquitetura no Brasil. São elas:

  • Decorador: R$ 1.263
  • Paisagista: R$ 2.712
  • Projetista: 3.577
  • Arquiteto Pleno: R$ 4.395
  • Edificações: R$ 5.059
  • Urbanista: R$ 5.170
  • Coordenador: R$ 7.596

Quanto ganha um arquiteto recém-formado?

Os valores variam de acordo com a região do país e a experiência do arquiteto. Enquanto as regiões Sudeste e Centro-Oeste costumam ter as melhores remunerações médias, a região Norte oferece os menores salários do país.

Para se ter uma noção dessa variação, segundo uma pesquisa feita pelo Datafolha na região metropolitana da cidade de São Paulo, o salário inicial para arquitetos na capital paulista é de R$ 4.515. Em contrapartida, a média nacional para o cargo de Arquiteto Júnior, ainda de acordo com a Catho, é de apenas R$ 2.365.

Claro que o salário é um aspecto importante. Em qualquer profissão devemos levar isso em consideração. Porém, é preciso ter em mente que a sua escolha não deve se basear unicamente nos rendimentos que a profissão pode te proporcionar.

Mais importante do que avaliar o salário, é ter certeza de que você está na carreira certa, exercendo a profissão que você realmente deseja seguir. A boa remuneração é consequência de um trabalho bem feito, com dedicação e satisfação.

E, aproveitando o assunto, não deixe de assistir ao mini-curso gratuito de empreendedorismo para arquitetos que eu preparei para você – que irá lhe ajudar a entender alguns pontos cruciais sobre o seu escritório (que você não aprendeu na faculdade), como atração de clientes, negociação de preços e gestão de fluxo de caixa. Continuamos o nosso papo por lá!

Rodrigo Padilha

O Professor Rodrigo Padilha é pioneiro e fundador do Empreendedorismo Jurídico e do Empreendedorismo Maverick no Brasil, além de fundador da Legião, que é uma das maiores turmas de 2ª fase da OAB no país. Atualmente coordena diversos negócios no Brasil e nos EUA e se dedico a ensinar advogados e outros profissionais a atingirem o sucesso através do empreendedorismo.