Empreendedorismo Jurídico


O advogado acredita que seu conhecimento jurídico é suficiente para lhe levar aonde ele quer. Mas quando é jogado no mercado e abre seu escritório, percebe que também precisa:

  • Cuidar do fluxo de caixa;
  • Gerir pessoas;
  • Estabelecer padrões de atendimento;
  • Não esmorecer diante dos desafios;
  • Negociar bem seus honorários;
  • Atrair clientes e vender seu serviço;
  • Se relacionar com outras pessoas para indicar novos clientes e dividir processos…

E como nenhuma faculdade de Direito ensina a fazer essas funções, cabe ao advogado aprender sobre Empreendedorismo Jurídico após a graduação… 👇

Empreendedorismo Jurídico

Curso Completo de Empreendedorismo Jurídico


Conteúdos Gratuitos


Separei meus 6 melhores materiais gratuitos sobre Empreendedorismo Jurídico para você começar a transformar seu escritório em um negócio de sucesso!

Acesse agora mesmo O Kit Definitivo para Alcançar O Sucesso na Advocacia, disponível gratuitamente:

O Kit Definitivo para Alcançar o Sucesso na Advocacia

Saiba mais!


Como tudo começou


Conceitos básicos


Segundo um dos maiores nomes da administração, Peter Drucker, o termo entrepreneur é de origem francesa e é usado para se referir a pessoa que em seu benefício assume riscos na criação de um produto ou serviço qualquer ou aquele que se lança à realização.

Fato é, independente da atividade que exerça, o comportamento empreendedor pode existir em várias pessoas – e não seria diferente no mundo do Direito, com o empreendedorismo jurídico.

Hoje existem mais de 1 milhão de advogados registrados nos quadros da OAB em todo Brasil. E todos eles com conhecimento jurídico.

Ou seja: hoje, principalmente em razão da concorrência, quem não inovar está com os dias contados nessa profissão. Fazer um site, distribuir cartões, esperar o cliente e quando/se ele vier entrar na guerra de preço de honorários não é mais opção para os advogados que querem sucesso. O advogado precisa mudar sua postura diante da profissão.

Minha metodologia de empreendedorismo jurídico leva em conta as 6 habilidades fundamentais para o sucesso (além do conhecimento jurídico), que são: Mindset, Produtividade, Finanças, Estratégia, Marketing e Vendas.

Com ela, você vai aprender de forma didática e prática, como treinar sua mente para atingir o máximo de seu potencial (Mindset); produzir mais em menos tempo (Produtividade); construir um planejamento para construção da independência financeira (Finanças); estruturar e organizar seu escritório como uma empresa (Estratégia); atrair muito mais clientes (Marketing) e fechar mais contratos por valores mais altos do que você regularmente aplica (Vendas).

Foi só depois de duas faculdades (Comunicação Social – Marketing e Direito), 20 anos na área do Direito, mais de 10 anos de empreendedorismo jurídico, centenas de acertos e falhas reais, dezenas de livros e cursos, que eu criei minha metodologia própria de empreendedorismo jurídico, em 2016, que desde então já revolucionou a vida de milhares de advogados.

O empreendedorismo na advocacia é um conceito desconhecido por muitas pessoas que, ao saírem da faculdade de Direito com um excelente conhecimento jurídico, pensam que isso é o suficiente para alcançar o sucesso profissional.

Mas, uma vez no mercado, essas mesmas pessoas percebem aos poucos que suas carreiras não decolam…

Um dos motivos para isso é que, assim como você, existem mais de 1 milhão de outros advogados registrados nos quadros da OAB em todo o Brasil, todos disputando um lugar ao Sol.

Em razão dessa enorme concorrência, quem não inova no Direito está com os dias contados na profissão.

Ah, e antes de mais nada: se você quer fazer algo com propósito e sente que pode fazer a diferença, mas tem medo de encarar o empreendedorismo na advocacia de frente, saiba que o advogado sim pode ser empresário de acordo com a OAB.

Nesse sentido, também é importante ressaltar que, pela legislação, o advogado não pode ser MEI (microempreendedor individual), mas pode abrir uma Sociedade Unipessoal de Advocacia – uma modalidade particular da classe dos advogados, com forte ligação com o espírito da Eireli.

Bom, entendido tudo isso, você agora precisa pensar o seguinte:

Quando e como começar o empreendedorismo na advocacia?

Essas respostas não são exatas, pois é preciso que você sinta quando é o momento certo para você começar a empreender.

E o primeiro passo é ter coragem.

Reid Hoffman, co-fundador do LinkedIn, disse uma vez que “empreender é se jogar de um precipício e construir um avião durante a queda”. Ou seja: não existe nada mensurável que possa indicar para você “estou pronto, agora posso começar a empreender”.

Mas isso não significa não estar preparado.

É fundamental ler e aprender muito sobre o assunto, buscar conhecimento em livros sobre o assunto e fazer um bom networking com outros empreendedores da advocacia! Não tenha receio de perguntar para quem já trilhou o caminho que você deseja seguir quais foram seus desafios e suas dificuldades para sua consolidação.

Agora, se você já sente vontade de ter seu próprio negócio, vem a outra pergunta: como começar o empreendedorismo na advocacia?

Aqui é importante destacar que somente o domínio do Direito não é o suficiente. Alguns conhecimentos que um advogado precisa ter para empreender com sucesso são:

  • Finanças, para saber como cuidar do fluxo de caixa;
  • Recursos Humanos, para saber como gerir pessoas;
  • Administração, para poder estabelecer padrões ao atendimento;
  • Psicologia, para encarar com inteligência os desafios;
  • Vendas, para negociar bem os honorários;
  • Marketing Jurídico, para saber como conquistar clientes;
  • Networking, para se relacionar com outras pessoas que podem lhe indicar novos clientes, dividir processos etc.;
  • E, claro, Direito, para poder atuar de fato em processos judiciais e entregar aquilo que você promete para os seus clientes.

Ou seja, o advogado moderno deve ser multidisciplinar, e um verdadeiro empreendedor jurídico.

O problema é que as faculdades não ensinam nada sobre empreendedorismo na advocacia, então o bacharel sai de seu curso dominando o Direito em si, mas sem saber como fazer a gestão de seu negócio, o que dificulta que seu escritório tenha sucesso.

Mas não se abale, pois ninguém nasce sabendo todas as disciplinas necessárias para ser um empreendedor de sucesso!

Essas habilidades você adquire com o tempo – processo que pode ser acelerado com cursos de empreendedorismo jurídico como o que eu ofereço há alguns anos, por exemplo.

Nos meus quase 20 anos de Direito (sendo mais da metade deles trabalhando com empreendedorismo na advocacia), acertei e falhei muitas vezes, e foi com base nessa experiência, aliada a muito estudo, que criei a metodologia que está revolucionando a vida de milhares de advogados.

Essa metodologia envolve Mindset, Finanças, Produtividade, Estratégia, Marketing e Vendas.

Esses assuntos são tratados nos meus dois cursos de empreendedorismo jurídico:

  • 60/30: para quem está há menos de dois anos nos mercado;
  • #SejaMaverick: para profissionais mais experientes.

E então? Está pronto para ter sua vida transformada pelo empreendedorismo na advocacia?

Há um bom tempo eu, Rodrigo Padilha, venho ministrando o curso de empreendedorismo jurídico para ajudar os advogados a enxergarem o Direito como um negócio.

Eu queria neste artigo falar um pouco sobre essa mudança de paradigma e aproveitar para apresentar o curso, como ele é, quais são os assuntos abordados, os resultados esperados e para quem ele é direcionado.

Mas antes de mais nada, quero explicar por que eu defendo que o advogado precisa entender sobre negócio, se o que ele sempre foi ensinado a fazer está relacionado apenas ao Direito.

Uma breve introdução sobre o mercado de Direito

Em 2017 chegamos ao número oficial de 1 milhão de advogados no Brasil. Isso representa um número muito grande de profissionais fazendo a mesma coisa, o que em um primeiro momento dá a entender que a advocacia já é um mercado saturado.

Mas isso não é verdade.

O mercado só está saturado para aqueles profissionais que não se destacam e que não tentam fazer diferente – ou seja, que, em resumo, fazem exatamente aquilo que os outros milhares de advogados estão fazendo.

E uma forma de fazer diferente é justamente enxergar o Direito como negócio e entrar de cabeça no empreendedorismo jurídico, que deriva de análise de mercado que pode ser resumida a uma frase:

A maioria dos advogados se forma sem entender nada sobre negócios, mas mesmo assim muitos optam por abrir suas próprias empresas (lembre-se: seu escritório é, sim, uma empresa).

Isso porque esse assunto não é falado nas faculdades de Direito. As instituições padronizam a parte técnica, mas não abordam a administração. Portanto, a maioria dos advogados acabam a graduação sem saber exatamente como montar um escritório de advocacia.

E a minha missão é fazer você enxergar isso de forma clara! Por isso criei meu curso de empreendedorismo jurídico.

Como é o curso de empreendedorismo jurídico

O curso é 100% online e tem como premissa ajudar você a construir uma mentalidade diferente, a adquirir ferramentas e a desenvolver habilidades para iniciar o caminho do empreendedorismo.

Além dessas aulas gravadas, que formam o escopo do curso, o curso conta também com aulas ao vivo, todo mês, com atualizações, temas relevantes e discussão de dúvidas e problemas (PS: as aulas ao vivo estão disponíveis apenas na versão EJ #SejaMaverick).

Quem ministra as aulas sou eu mesmo, Rodrigo Padilha – e, já que você está lendo esse post, acho importante destacar que sou o pioneiro dos cursos de Empreendedorismo Jurídico no Brasil (esse nome, inclusive, fui eu mesmo que batizei).

O que tem no curso

Meu curso de empreendedorismo jurídico é composto por 6 módulos essenciais:

  • Mindset;
  • Produtividade;
  • Finanças;
  • Estratégia;
  • Marketing;
  • Vendas.

Aprofundando um pouco esses módulos, alguns conceitos que eu vou abordar durante o curso são:

  • Reprogramação mental;
  • Identificação de nicho de mercado;
  • Definição de público-alvo;
  • Montagem de modelo de negócio;
  • Análise de concorrência;
  • Montagem de escritório com recursos limitados;
  • Estabelecimento de objetivos e metas;
  • Precificação de honorários;
  • Destaque em meio à concorrência;
  • Dicas de gestão financeira;
  • Como conquistar mais clientes;
  • Técnicas de negociação.

Quais os resultados esperados dessas aulas?

Com a inovação e a qualidade do curso de empreendedorismo jurídico você vai colher grandes resultados para sua carreira.

Alguns resultados que você pode conquistar ao fazer as aulas é:

  • Aumento de receita;
  • Crescimento da produtividade do seu escritório;
  • Conquista e fidelização de clientes;
  • Desenvolvimento da gestão de seu tempo;
  • Aumento de autoridade no mercado de advocacia.

Na página completa do curso você encontra vários depoimentos dos meus ex-alunos, desde quem aumentou a receita do escritório em mais de 150% em 30 dias até o agradecimento pela negociação de um honorário de R$ 300.000,00.

Quem pode fazer o curso de empreendedorismo jurídico?

O curso foi feito para qualquer profissional do Direito que queira mudar sua realidade profissional, mas, o que muda, é a “versão do curso” mais apropriada para cada caso.

Para quem passou há menos de 2 anos na OAB, eu sugiro o curso EJ 60/30, que é um treinamento que você deve assistir 30 minutos por dia, de segunda a sexta-feira, durante dois meses, para orientar o início da sua carreira da maneira certa.

Já se você passou na OAB há mais de 2 anos, seus desafios são outros e, nesse caso, sugiro o EJ #SejaMaverick, que possui 55 horas de conteúdo, incluindo exemplos de casos reais, além das aulas ao vivo mensais, que eu comentei acima.

Espero que tenha gostado dessa explicação e tenha se interessado no curso, que você pode conhecer em detalhes e adquirir nesta página.