Cartão de visita do advogado moderno: como é o modelo ideal?

Postado em por Rodrigo Padilha.

Apesar de vivermos em tempos digitais, em que praticamente tudo pode ser feito pelo celular, o cartão de visitas segue sendo um importante mediador de relacionamentos para diversas profissões. Na advocacia, isso não é diferente.

Em uma área com valores tão tradicionais e em que o networking é um fator preponderante, o cartão de visitas do advogado ainda desempenha um importante papel na construção de uma imagem de seriedade e profissionalismo, ajudando também a criar novas relações e parcerias.

Nesse sentido, é fundamental que o advogado tenha sempre alguns cartões consigo ou, pelo menos, uma versão digital que possa ser enviada via redes sociais. Afinal, em um mercado tão competitivo, não é nada vantajoso perder oportunidades de estabelecer novos contatos (e a chance de se destacar dos concorrentes) pelo simples fato de não possuir ou ter esquecido o cartão de visitas.

O que está em jogo é o seu sucesso profissional e a imagem que você passa ao mercado!

O que pode parecer apenas uma mera formalidade, na verdade trata-se de um investimento no seu próprio marketing jurídico-pessoal, na sua própria carreira, e que pode fazer toda a diferença no sucesso dos seus negócios.

Com tudo isso em mente, vale ressaltar que o cartão de visitas do advogado moderno deve ser criado como parte integrante de toda a estratégia de marketing e em acordo com os outros elementos que compõem a identidade visual do advogado ou do seu escritório. A ideia é criar uma unidade visual que reforce e destaque a marca, tornando-a facilmente identificável por clientes, colegas e outros interessados.

Sendo assim, apesar de não ser tratado como prioridade por muitos profissionais da área, é primordial investir no desenvolvimento de uma identidade visual própria, que seja capaz de transmitir a essência e os valores pelos quais o advogado deseja ser reconhecido.

Como criar um cartão de visitas para o advogado moderno?

Inclua informações de contato

A troca de cartões de visita nada mais é que um convite para continuar a conversa e aprofundar o relacionamento. Porém, mesmo parecendo algo óbvio, é preciso pensar estrategicamente quais as informações que serão colocadas no cartão.

Se você não checa e-mails a todo instante, talvez seja melhor destacar outras formas de contato, pensando nas que você mais utiliza. Mensagens via WhatsApp são práticas para você? Então aposte nisso.

Destaque seu logotipo

Eis aqui um belo exemplo da necessidade de uma identidade visual bem pensada: de uma maneira geral, o logotipo é o elemento que mais se destaca em um cartão de visitas na advocacia.

Porém, vale o toque: a logo não deve ser muito grande, para que não desvie o foco das informações de contato, nem muito pequena, de modo que passe despercebida. Ela deve ser colocada de forma proporcional e elegante, tornando a marca fácil de reconhecer e lembrar.

Quais são os principais erros dos cartões de visitas de advogados?

Cores chamativas (ou em excesso)

Se seriedade e sobriedade são os valores que buscamos passar, então essas devem ser as características visuais que devem ser exploradas no cartão de visitas do advogado moderno.

Dessa maneira, evite cores chamativas, como laranja, vermelho ou tons neon. Aposte em tonalidades elegantes, como preto, bordô e azuis mais escuros. Alguns detalhes em prata e dourado também são muito utilizados.

No entanto, cuide para não usar muitas cores diferentes. Foque na legibilidade e clareza das informações e seja coerente com a identidade visual do seu negócio.

Fontes inapropriadas

Seguindo no reforço de qualidades como profissionalismo e elegância, a tipografia empregada no cartão também merece atenção.

Aposte em tipos clássicos e sérios. De nada adianta escolher muito bem as cores e acabar usando fontes que não transmitam credibilidade, como a famigerada Comic Sans. Atente também à legibilidade das informações. Letras cursivas podem ser lindas, mas podem dificultar muito a leitura.

Por fim, não exagere na quantidade de fontes diferentes; isso também passa ar de amadorismo e prejudica a parte visual do projeto. Pense na hierarquização visual das informações. Para isso, utilize, no máximo, dois tipos diferentes ou aposte em variações do mesmo estilo, como negrito e itálico.

Exagero de informações

Como comentei anteriormente, as informações que constam no cartão de visitas do advogado moderno devem ser bem pensadas.

Não adianta colocar o endereço do seu escritório se você não faz atendimento presencial ou recebe visitas sem agendamento. Ou ainda: não coloque seu número de WhatsApp se você prefere que o contato seja feito por e-mail.

Isso é fundamental para evitar excesso de informações, que podem poluir visualmente o cartão, além de deixar a pessoa confusa sobre qual a melhor forma de contatá-lo. Por isso, se atenha aos dados mais importantes: nome, número de registro na OAB e o meio de contato que você prefere, como telefone, e-mail, redes sociais ou site.

Abuso de recursos visuais

Hoje em dia, é possível produzir cartões de visitas com diferentes acabamentos, relevos e cortes. Porém, isso não significa que você deve aplicar todos de uma só vez. Você não quer que seu cartão pareça um trabalho escolar infantil, não é mesmo?

Estude com a gráfica as opções de acabamento e escolha, no máximo, dois recursos. O verniz é interessante para dar destaque ao logotipo, enquanto cantos arredondados podem ajudar a deixá-lo com um aspecto menos rústico, por exemplo.

Extra: Dicas técnicas

Dimensões

O tamanho padrão para cartões de visitas é de 5 cm x 9 cm. São dimensões que facilitam que ele caiba em qualquer bolso de camisa ou carteira.

Claro, existem tamanhos diferentes, porém é importante prestar atenção: cartões muito pequenos são fáceis de perder e limitam o tamanho e quantidade de informações. Por outro lado, os muito grandes podem atrapalhar as pessoas e fazer com que elas tenham que dobrá-lo para guardar.

Gramatura e tipo de papel

Em relação à gramatura, o ideal é buscar um meio termo.

Um cartão de visitas muito mole passa uma impressão de desleixo, além de rasgar e amassar facilmente. Em contrapartida, papéis muito duros possuem um custo muito elevado e podem ficar grossos demais, além de não trazer nenhum benefício específico. Sendo assim, o recomendado é utilizar a gramatura de 200g/m².

Já o tipo de papel mais utilizado é o couchê fosco, mas existem muitas outras opções. Veja com a gráfica a possibilidade de impressão de testes em diferentes papéis, para que você possa avaliar qual a melhor opção.

Símbolos da advocacia

A área do Direito possui símbolos visuais muito marcantes e conhecidos. Alguns deles podem ser utilizados no cartão de visitas do advogado moderno, reforçando alguns ideais e valores da profissão. Símbolos como a balança, a espada ou a deusa Têmis estão entre os mais utilizados.

Por fim, atente-se para não cair em clichês e não poluir o visual do seu cartão! Cuide também para não ser redundante, uma vez que muitos escritório já utilizam esses elementos para compor seus logotipos.

E, aproveitando o assunto, não deixe de assistir ao mini-curso gratuito de Empreendedorismo Jurídico que eu preparei para você – que irá lhe ajudar a entender alguns pontos cruciais sobre o seu escritório (que você não aprendeu na faculdade), como marketing jurídico, negociação de honorários e reprogramação mental. Continuamos o nosso papo por lá!

Rodrigo Padilha

O Professor Rodrigo Padilha é pioneiro e fundador do Empreendedorismo Jurídico e do Empreendedorismo Maverick no Brasil, além de fundador da Legião, que é uma das maiores turmas de 2ª fase da OAB no país. Atualmente coordena diversos negócios no Brasil e nos EUA e se dedico a ensinar advogados e outros profissionais a atingirem o sucesso através do empreendedorismo.